terça-feira, março 28, 2017

[Resenha] A Rainha das Trevas- Anne Bishop


“Jaenelle Angelline é a feiticeira da profecia e rainha de Ebon Askavi. Agora, o reino das sombras está sob sua proteção. No entanto, membros corruptos dos Sangue continuam à espreita e, em um jogo perverso de política e intriga, pretendem destruir todos aqueles que ficaram do seu lado. Enquanto isso, depois de ter escapado da loucura do reino distorcido, Daemon Sadi finalmente chega a Kaeleer, onde o destino o levará a se reencontrar com Lucivar, Saetan... e Jaenelle. Mesmo após tanto tempo, seu amor continua inabalável. E, sendo consorte prometido da rainha, o poder de sua joia estará a serviço dela, caso Jaenelle assim o deseje. Entretanto, isso pode não ser suficiente para evitar o terrível plano que está prestes a ser executado. Uma guerra está a caminho. E, quando ela chegar, apenas um grande sacrifício poderá salvar o reino.”

Um ótimo final de trilogia.

Esta resenha não contém spoilers dos livros anteriores. Hum, talvez um pouquinho, mas nada muito grande, eu juro!

Depois de um segundo livro que deixou um pouco a desejar, Anne Bishop fecha com (quase total) maestria a série Jóias Negras. Jaenelle já é uma adulta.Rainha e Feiticeira. Daemon veste o anel de consorte. Estão todos finalmente vivendo seus “felizes para sempre?”.
Muito pelo contrário.
Passado alguns anos após o final do livro 2, A Rainha das Trevas inicia já mostrando que a paz é apenas ilusória. Querem a guera, querem derrotar a nova Rainha. E ao mesmo tempo que Jaenelle precisa lidar com uma guerra iminente, ela também precisa entender sua relação com Daemon. De alguma forma, salvá-la, antes que seja tarde de mais. Os traumas pelos quais os dois passaram foram fortes e horríveis demais- e o medo de machucar, acabou por separar os dois.

Ah, que livro!

Não vou mentir, o começo é um pouco chatinho; muiyto voltado para a parte política da história e como já fazia um tempinho que tinha lido o último livro, demorei um pouco para me situar, me lembrar completamnete dos personagens e daquele fantástico. Porém, quando finalmente surgiram Saetan, Lucivar e Daemon eu me lembrei como- e porquê- eu adorava tanto essa série.

E seus personagens.

Sim, porque é impossível não se apaixonar pelo trio que eu mencionei. Os parentes. Surreal. Presas Cinzas. Até mesmo os vilões (apesar de asquerosos) tinham o seu charme.

Como eu mencionei, o início é um pouco tedioso, mas com o desenvolver da leitura, percebemos que foi totalmente necessário. Usando uma palavra muito usada na história, a autora tece várias histórias que vão se convergindo em uma só. Tudo se caminha para um fim.
Mas não pense que o livro é só sobre batalhas e guerras, o amor está presente sim. O amor fraternal e, claro, amor de Daemon e Jaenelle. É um amor forte, por vezes sofrido, nos qual, os dois não sabem lidar direito. Não há nada de melodramático aqui, mas senti um aperto no coração pelo Daemon diversas vezes.

Em um primeiro momento, A rainha das trevas parece uma leitura pesada, mas essa sensação logo se dissipa com o desenrolar da história. A autora soube mesclar muito bem as questões políticas e as relações amorosas-familiares. Além disso, um humor quase involuntário por parte de alguns personagens (como Surreal, por exemplo) deu uma leveza essencial à trama e andamento do leitura.

A rainha das Trevas é um leitura única e surpreendente, um final quase perfeito (faltou um epílogo!) para uma série fantástica que, pode causar alguma estranheza no início mas que vale muito a pena ser conhecida- e lida!

Recomendo!

A trilogia principal se encerra aqui, mas a série continua. Acho que a Arqueiro não irá publicar os outros livros, mas penso que seria interessante se eles publicassem nem que fosse só em ebook. #Ficaadica



Série:
Livro 1- A Filha do Sangue
Livro 2- A Herdeira das sombras-
Livro 3- A Rainha das Trevas

*** A autora ainda escreveu uma série de novellas/pequenas histórias ambientadas no mesmo universo de A Filha do Sangue. A lista completa completa pode ser vista AQUI



Título Original: Queen of the darkness
Autor: Anne Bishop
Editora: Arqueiro
Série As Joias Negras- Livro 3
Gênero: Fantasia
Sub-Gênero/Assunto: Aventura
Período: Indefinido (há muuuito tempo atrás?).
Outra Capa:


4.5/5
 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

sexta-feira, março 24, 2017

Papo de Cinema: A Bela e Fera, o filme


Quarta-feira passada, eu fui assistir A Bela e a Fera, versão live-action do famoso desenho dos anos 90. Este nunca foi meu conto de fadas, ou desenho favorito, mas eu sempre adorei as músicas e a biblioteca da Fera e o filme, bem, eu tinha que ver, né?

Bem, o filme é o desenho com atores reais. Tudo bem, existem algumas cenas a mais, mas basicamente é a mesma coisa. Quem assistiu ao desenho (alguém não? O.O ) vai reconhecer tudo. Sério, é impossível não cantarolar junto quando começa o “Bonjour! Bounjour!”.

É simplesmente encantador, não há dúvidas. E a recriação “Disney” de uma pequena Vila francesa no século 18 é muito bem feita. Maquiagem, cenários, está tudo de parabéns. O castelo da fera também; sombrio e envolvente ao mesmo tempo. O problema é que é tudo muito escuro. Tudo bem, eu sei que a “sombra” dominava o lugar, mas um pouco mais de luz fez falta, principalmente em cenas como a da biblioteca da Fera. No filme, eu não tive aquela sensação de UAU que o desenho me passou.

Emma Watson não compromete, mas, sinceramente, também não brilha. Na primeira hora, é difícil desassociar a imagem dela com a de Hermione, mas depois a Bela dela se faz mais presente. Emma não canta mal (aliás, todos estão corretos nesse quesito) mas achei a voz dela um pouco fraca- e a parte instrumental da canção muitas vezes se sobrepunha sobre a voz dos atores.

O que eu gostei mesmo, além da história em si, foi dos coadjuvantes. Os objetos falantes e Gaston e seu fiel escudeiro LeFou. Sra. Potts, Lumiere, o Relógio... até pareciam de verdade.

LeFou é um caso à parte; o personagem em si já era bem simpático e engraçado mas o que chamou a atenção foi o fato da Disney ter anunciado que o personagem era gay. Claro que houve muita celeuma por causa disso e, sinceramente, não sei porque. Para quem vê o filme, é algo meio que implícito, mas, nada “abridor de armários”.

A Bela e Fera não é um filme perfeito nem foi o melhor filme que já vi nada vida, mas foi sim uma viagem mágica e encantadora. Eu me senti mais leve e feliz (apesar de o filme ser um pouco longo demais). O sorriso no rosto é quase que imediato, assim como a incapacidade de não sair cantando as músicas.

Ah, e a Fera, vocês podem estar se perguntando. Honestamente? Nada contra o Príncipe, mas gostava muito mais dele na versão Besta. ;)






 


 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

segunda-feira, março 20, 2017

#Divulgação Série Irmãos de Sangue, de Nora Roberts


Nora Roberts está de volta com uma nova série!



Saiba mais no site da Arqueiro: www.editoraarqueiro.com.br


 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

domingo, março 19, 2017

#NaEstrada Silvio Santos Vem Aí


Olá!



Hoje o post será um pouco diferente. Vou falar sobre uma exposição muito legal que está está em cartaz no MIS de São Paulo; É “Silvio Santos Vem aí” que mostra a trajetória profissional do apresentador mais importante do Brasil.
 photo IMG_1646_zpsckpntnao.jpg



Na minha casa, nunca fomos muito de assistir à programação do SBT, mas acho que o Silvio sempre foi muito além de um canal de TV. Quem nunca assistiu à pelo menos UM quadro do seu famoso programa de domingo? Qual criança dos anos 80 e 90 não se deliciava com o “SIM! NÃO!” do foguetinho do Domingo no Parque?

A primeira coisa que se deve ter em mente ao visitar a exposição é que ela não é sobre Senor Abravanel mas sim Silvio Santos. Ou seja, não espere ver nada “pessoal” sobre o Silvio.

A começa com Silvio ainda criança no Rio de Janeiro e sua bem sucedida “carreira” de camelô nas ruas da então capital do Brasil. Interativa e cheia de fotos e objetos de época, é mostrado o início não só de Silvio como grande homem das comunicações como também o início da própria TV no Brasil.

O início da exposição é incrível, muito bem feita e cheia de curiosidades, mas é quando chegamos no Silvio que todos nós conhecemos que a memória emocional começa a ser posta em cheque. Tem até o Silvio na Globo, com seu programa “Boa Noite, Cinderela” (que confesso foi de antes d’eu nascer).



É impossível não voltar no tempo nas seções do Domingo No Parque, Porta da esperança e Qual é a Música. O banquinho dos enamorados do “Namoro na TV”, o Show do Milhão e o banco da Praça.



Não é uma vista longa (demorei cerca de 1 hora e meia para ver tudo) mas vale cada segundo. Se você for de Sampa, ou estiver por aí durante esta semana, não deixe de visitar a Exposição do Silvio.

 



Serviço:
O Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS) fica na Av. Europa, 158 - Jardim Europa. Funciona de terça à domingo.
A Exposição sobre o Silvio fica em cartaz até domingo, 26 de março. Ingressos custam 12 reais.
Mais informações no site www.mis-sp.org.br

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

quinta-feira, março 16, 2017

[Resenha] A Promessa - Richard Paul Evans


“Ela havia perdido todas as esperanças... e encontrou um homem que cumpre suas promessas...

Beth Cardall tem um segredo. Durante dezoito anos, ela não teve escolha senão guardá-lo para si, mas, na véspera do Natal de 2008, tudo isso está prestes a mudar.

Para Beth, 1989 foi um ano marcado pela tragédia. Sua vida estava desmoronando: sua filha de seis anos, Charlotte, sofria de uma doença misteriosa; seu casamento transformou-se de uma relação aparentemente feliz e carinhosa em algo repleto de traição e sofrimento; seu trabalho estava por um fio e ela perdera totalmente a capacidade para confiar, ter esperanças e acreditar em si mesma.

Até que, um dia extremamente frio, após atravessar uma nevasca até a loja de conveniência mais próxima, Beth encontra Matthew, um homem misterioso e encantador, que mudaria de uma só vez o curso de sua vida”



Agridoce.
A Promessa é um daqueles livros que emocionam, mas deixam a gente com uma sensação meio estranha. É um livro feliz, mas ao mesmo tempo não é.

Narrado em forma de memórias, conta como o ano de 1989 foi especial para a jovem Beth Cardall. Recém-separada e mãe de uma menina de 6 anos, ela encontra na figura de um desconhecido, Matthew a força para seguir em frente.

Ao mesmo tempo em que é misterioso e avesso a se envolver romanticamente, ele parece saber muito sobre ela e a filha e, mais, acaba por se tornar um amigo imprescindível.

A Promessa fala de amor, mas não necessariamente do amor romântico ao qual estamos muito acostumados. Aqui é algo mais. Não há muito como definir, e é por isso que a leitura deixa um certo sabor de estranheza.

É um belo livro, emocional e diria até profundo. O bom é que o autor não se deixou levar pelo drama barato ou por soluções extremamente melodramáticas. Apenas achei que faltou uma explicação maior sobre o que acontece entre o presente (2008) e o ano da visita de Matthew.
De qualquer forma, é um livro que faz pensar e onde o final feliz talvez não seja aquele que esperamos.

Vale a Pena a Leitura!

E essa música é parte importantíssima da história. Linda.



Título Original: Promise me
Autor: Richard Paul Evans
Editora: Leya/Lua de Papel
Gênero: Romance
Sub-Gênero/Assunto: Viagem no Tempo, Drama, Família, Crianças
Período: 1989 e 2008. EUA.

4/5

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

segunda-feira, março 13, 2017

[Resenha] Escândalos na Primavera- Lisa Kleypas

Depois de passar por três temporadas em Londres à procura de um marido, o pai de Daisy Bowman lhe disse em termos diretos que ela deveria encontrar um marido. Agora. E se Daisy não conseguisse fisgar um pretendente apropriado, ela iria se casar com o homem que ele escolhesse — o impiedoso e frio Matthew Swift.

Daisy fica horrorizada. Um Bowman nunca admite a derrota, e ela decide fazer o que for necessário para se casar com alguém... qualquer pessoa... que não seja Matthew. Mas ela não contava com o inesperado charme de Matthew... ou a ardente sensualidade que logo começa a crescer fora de controle. E Daisy descobre que o homem que ela sempre odiou poderia vir a ser o homem dos seus sonhos.”




Quando a segunda vez é ainda melhor.
Eu li Escândalos na Primavera há alguns anos e, apesar de não ter desgostado do livro, não tinha sido uma leitura das mais inesquecíveis. Bem, tempo vai, tempo vem e eu tive uma nova chance de (re)ler o livro e..não é que gostei muito mais desta vez?
Quarto e último livro da série Wallflowers (As Quatro Estações do Amor), Escândalos na Primavera conta a história de Daisy Bowman, a romântica e sonhadora irmã mais nova de Lilian Bowman, a mocinha do segundo livro da série.
Aos 22 anos, Daisy é considerada uma solteirona e como, apesar da sua beleza, não tem nenhum pretendente em vista, seu pai lhe dá um ultimato: ou ela arranja um noivo até o final da temporada ou terá que se casar com alguém da escolha dela. Isso já seria péssimo se não fosse um detalhe para piorar ainda mais:o escolhido do Sr. Bowman é Matthew Swift, seu braço direito no trabalho e por quem Daisy tem um profundo desprezo.

Ah, esses romances de amor e ódio! Na superfície, mocinha e mocinho adoram se espezinhar, mas lá no fundo...A questão aqui é que Matthew sempre foi apaixonado por Daisy, porém fazia questão de se manter afastado. E até mesmo diante da chance de se casar com seu grande amor, ele prefere recuar. Como um bom herói romântico, ele tem sua parcela de segredos obscuros do passado.

Daisy vive um conflito interior, pois apesar da “birra” que sempre teve de Matthew, com seu jeito certinho e que só pense trabalho, ela vê-se diante de um homem completamente daquele que se lembrava. Pela primeira vez, ela percebe- vê- algo muito além de um homem aparentemente obcecado por lucros e números. O problema é que mesmo se ela estivesse disposta a se entregar, Matthew mantem-se distante. E Lilian, sua irmã mais velha também não ajuda.

Lilian, a chata. Tudo bem que ela tinha antipatia pelo rapaz, mas achei que se meteu demais.
Escândalos na Primavera não apresenta muitas novidades ou surpresas, porém é uma leitura leve e dinâmica, que deixa a gente de coração tranquilo. Nos livros anteriores da série, eu não tinha muita simpatia pela Daisy, mas aqui acabei por gostar dela. Ela não é nenhuma personagem a frente de seu tempo, nem quer causar grandes mudanças na sociedade. Daisy só quer ser feliz e o sério e centrado Matthew é o contrapeso que faz o balanço ideal. O fato dele sempre ter sido apaixonado por ela dá uma outra dinâmica e beleza ao relacionamento; um personagem supostamente frio acabou sendo o mais emocional.

Este é o tipo de livro que a gente lê “numa sentada só” e que fica com peninha- e saudades- quando chega a última página.

Romance de época é tudo de bom mesmo.

Recomendo!

Série:

Livro 1- Segredos de uma Noite de Verão
Livro 2- Era Uma Vez no Outono
Livro 3- Pecados no Inverno
Livro 4- Escândalos na Primavera

Wallflowers
Título Original: Scandal in Spring
Autor: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Série Wallflowers
Gênero: Romance Histórico
Sub-Gênero/Assunto: Amor e Ódio, Reencontro
Período: Vitoriano. Inglaterra.
Outra capa:


4/5

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

terça-feira, março 07, 2017

#Divulgação Kindle Week: Livros de Flavia Cunha em Promoção!

Olá pessoas lindas, a queridíssima Flavia Cunha tem um recado muito especial; recado, não, um dica mesmo!

"Querido leitor!
A Kindle Week da Amazon.com.br está se aproximando.
Meus livros farão parte de uma seleção especial de eBooks no site!
A promoção é válida do dia 06 de março até 12 de março 23:59 de 2017.
O preço dos ebooks durante a promoção será de R$1.99"

Claro que não dá pra perder né?!

Só pra ter um gostinho, deem só uma olhadinha no que está em promoção! E tem muito mais! è só acessar a Amazon Brasil